Sábado, 4 de Agosto de 2007

Solidão - medo de não ser amado

Este poema é dedicado a aqueles que, por alguma razão, têm medo de nunca virem a ser amados.

 

 

 

 

 

Quando a inspiração se evapora
Os pensamentos são transversais
Tudo na vida é jogado fora
Parasitas e coisas anormais!
                       
Tudo o que se pensa é sentido
Mas queremos que desapareça
Só o ser, pelo ser, ser vivido
Pode pensar que tudo aconteça!
 
Mas o que quer achar
É difícil de que ilumine a sua vida
Porque o sentimento forte de amar
É coisa a si desconhecida!
 
Ama, para sofrer
Sofre, talvez por querer
Talvez um dia acabe por morrer
Sem ao menos o amor conhecer!
 
Diluí as lágrimas no betão
Fortifica as chagas que lhe queimam a mão
As amarras apertam-lhe o coração
Sem razão aparente ou aparente razão?
 
O espírito é enriquecido pelo sofrimento
Para que não mais volte a tentar
Deixar de lado esse pensamento
De que de novo na parede possa marrar!
 
Solitude desmedida
Açambarca tudo que lhe vai dentro
Abre-se a fenda da ferida...
Que profunda leva as palavras ao vento!
 
A ilusão de que as coisas podiam resultar
Se o facto de tentar e tentar
Pudesse permitir alcançar
A doçura do corpo, a captação do olhar!
 
Tudo resumido numa mente
Que se faz esperar
Fazer de um ser, um ser contente
Só pelo facto de poder se amar!
 
Tudo caminha, para que o livro possa fechar
E nada mais se possa nele escrever
Porque a palavra Amor nele não consegue entrar
E somente a palavra Amizade acaba por entreter!
 
Marco Viana 04-08-2007
 
publicado por Ir0ns às 15:34
link do post | comentar | favorito
|
3 comentários:
De anne a 6 de Agosto de 2007 às 02:46
Olá Marcos, a imagem já diz muito daquele que já não exibe o vigor da da produção.
Mantenho com os velhos uma relação de imensa ternura, quiçá em razão da fragilidade e da finitude que os envolvem. Adorei voltar e ler o teu belo poema sobre a solidão na velhice.
Beijo meu.


De anne a 15 de Agosto de 2007 às 20:36
Olá! Andas sumido? Vim ver as novidades, mas não poderia sair sem deixar um OI.
Bjus


De joao filipe ferreira a 24 de Agosto de 2007 às 17:48
eu e pedro lopes do site www.luso-poemas.net estamos a pensar fazer uma antologia 100 autores, 100 poemas pela ecopy. Neste projecto cada autor participa com 1 texto. O unico custo que terá é comprar 1 livro, ou seja terá o preço de 12 euros. é um livro que pode estar em qlq loja que qualquer autor arranje para além das muitas lojas onde está presente, pensei em o convidar, se quiser será um prazer:)

grande abraço


Comentar post

.Perfil

.pesquisar

 

.Setembro 2009

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
15
17
18
19

20
21
22
23
24
25
26

27
28
29
30


.posts recentes

. Desabafos de duas Almas p...

. Amor, dois corações, um s...

. Anjos

. E se de repente , tudo nã...

. O que é um poema sem títu...

. Tudo não passa de um ilus...

. Um novo recomeço!

. Quando as saudades aperta...

. Poesia e música

. ...

.arquivos

. Setembro 2009

. Fevereiro 2009

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Março 2008

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

blogs SAPO

.subscrever feeds