Sábado, 9 de Junho de 2007

Amor Vadio - Primeira Parte

Uma amiga muito especial e que guardo no meu coração inspirou-me o tema deste poema... Ela disse algo e eu pensei "ora aí está um bom tema para um poema" e vai daí escrevi um!

Só que, quando concluí o dito cujo é que pensei... "bem este vai ser a parte 1", do estilo Lado A e Lado B das canções que haviam antigamente e eram gravadas em Vinil... era moda!

Embalado pelo tema, fui escrevendo e escrevendo... até que ele chegou ao fim, ou melhor, ao meio, porque estou a falar na primeira parte do poema!

A segunda parte deste poema irei escrever mais tarde, também não tão tarde, mas como se costuma dizer... "mais tarde"!

Estas coisas é conforme a inspiração e a minha vai restituindo e, por isso, não pode ser à papo-seco!

 

 

 

 

Amor Vadio
 
Vivendo nas ruelas da cidade
Em busca da sua própria felicidade
Anda o amor, que ainda não é feliz!
 
Amor vadio, a quem a ninguém pertence
Em que em tudo a solidão vence
Só espera pelo dia em que alguém o diz...
 
Amor, vem comigo... fica comigo
A ver se contigo, eu consigo
Ser uma alma contente
 
Amor, leva-me contigo
Não sejas só meu amigo
Faz-me com que deixe de ser uma alma carente!
 
Mas, os sonhos comandam a vida
E o amor vadio também os tem
Não tem alguém que lhe possa chamar querida
Mas também não diz a todas como lhes convém!
 
O Amor sai por aí vagueando
Por entre ruas cheias de gente
Com o coração palpitando como que saltando
Do peito infeliz e descontente!
 
O Amor tornou-se solitário
Namorado da Lua, da rua, da solidão
Vivendo distante, sufocante, num mundo imaginário
Sofrendo amarguras, agruras e depressão!
 
Amor Vadio que exulta por fora
O que por dentro ninguém vê
Que manda os espíritos maus embora
Mas deixa-os entrar sem saber porquê!
 
Amor vadio, por todas as noites tornar a sair
Em busca de alguém que o torne feliz
Que o faça, pelo menos uma vez na vida, sentir
Que este mundo perdeu mais um infeliz!
 
Amor Vadio que quer se divertir
Poder ao mundo abrir o rosto
E desembargado sorrir
Alegremente e com gosto!
 
Ele anda por aí
Poderás encontra-lo quando saíres à rua
Perguntas ao Sol se sabe onde ele se encontra
Ele te encaminhará para a Lua!
Perguntarás à Lua
Porque caminho, porque rua!?
A Lua te responderá...
Segue por aí...
Onde encontrares as lágrimas da solidão
Escuta bem dentro do teu coração
Se sentires um belo e doce calafrio
É aí que ele estará...
O teu Amor Vadio!!
 
Marco Viana 08-06-2007
 
 
 
 
 
 
 
 
publicado por Ir0ns às 19:30
link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito
|

.Perfil

.pesquisar

 

.Setembro 2009

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
15
17
18
19

20
21
22
23
24
25
26

27
28
29
30


.posts recentes

. Desabafos de duas Almas p...

. Amor, dois corações, um s...

. Anjos

. E se de repente , tudo nã...

. O que é um poema sem títu...

. Tudo não passa de um ilus...

. Um novo recomeço!

. Quando as saudades aperta...

. Poesia e música

. ...

.arquivos

. Setembro 2009

. Fevereiro 2009

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Março 2008

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

blogs SAPO

.subscrever feeds